É passeio. É no asilo e é brabo! Lá vão elas…

Primeira Dama e Lelê Vita

Lelê Vita e Primeira Dama

Lá vão elas! Lá vão belas!

Lelê Vita e Primeira Dama, arrumadas, ajeitadas e animadas!

Para o Abrigo do Cristo Redentor, lá em São Gonçalo-RJ um livro levaram. e lá foram passear! Passeando, palhaceando, andando, cantando e contando (do jeito delas, é claro) uma linda história de um menino apaixonado e uma moça caprichosa de vontade curiosa e preciosa. Uma história de amor e de sonho. De criatividade e poesia. Uma história de lua!

Teve quem risse e gostasse! Teve quem aplaudisse e comentasse! Lá iam elas brincando e andando e perguntando: querem ouvir uma história? Sim, façam como a fada enfermeira que nos conta histórias. Quero outras, quero novas, quero mais! E assim se fez, e assim se faz… O passeio segue.

E seguindo pelos pavilhões do asilo, as palhaças com histórias se surpreendem ao passear com brabeza. Elas começam a observar as belezas. Elas escutam. Elas bebem de uma água cristalina, e assim alimentam sua sede e sentem um gosto diferente em seus apurados paladares de sonhos e fantasias. Reconhecem novos sabores, aguçam seus ouvidos para novas descobertas. E escutam, escutam, escutam… E levam história e escutam histórias e passeiam e provocam e bebem mais um gole dessa água. Cada gole tem um gosto diferente. Elas olham bem para a fonte. E a fonte tem uma placa…

“Memórias”

Assim era a placa imaginária mais real possível para uma fonte. E assim, essa água que é gente, vai se revelando em histórias de rádio, de cantoria, de concursos de calouros, vejam só os louros da fama! Viu aí, Primeira Dama?

Lelê Vita observa, escuta e toma nota. Os gostos se multiplicam, a cada escuta um novo gosto. Histórias do Nordeste e do cangaço, histórias de navios e marinheiros!

Primeira Dama também anota e de certo um pouco se empolga, com histórias de carnaval.

O tempo passou rápido, e em certo momento elas já não sabiam se contavam, ou se ouviam histórias.

Lá foram elas, Fonchito, a lua e tantos outros personagens que se misturaram numa tarde de domingo no asilo.

São muitas histórias, é muita brabeza…

 

A bibliografia braba do dia:

VARGAS LLOSA, Mario. Fonchito e a lua. Rio de janeiro: Objetiva, 2011.

 

São Gonçalo, 06 de julho de 2014

 

O Projeto Geração da Leitura tem como objetivo estimular o intercâmbio cultural entre idosos, visitantes e funcionários do Abrigo do Cristo Redentor de São Gonçalo, realizando atividades artísticas e culturais, que permitam a construção da memória e a valorização da cultura e da história de vida dos idosos abrigados. Para este projeto, o Coletivo Experimentalismo Brabo conta com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s