Oficina – A graça além do riso

Com muita alegria anunciamos a oficina “A graça além do riso”, que será ministrada pelo nosso amigo e parceiro Juan Rocha, do Trupcando em Sonhos. A atividade será realizada nos dias 05 e 06 de Dezembro, no Espaço Casa Viva.

Venha descobrir os motivos pelos quais a graça do palhaço está muito além do riso. É uma ótima oportunidade para quem deseja conhecer um pouco mais sobre a arte, a potência e as possibilidades de atuação do palhaço.

Para a participação na oficina, pedimos a colaboração de R$ 30,00. Simbora!?! Temos apenas 20 vagas disponíveis. Clique aqui e se inscreva!

juan

Juan é palhaço, ator e coordenador nacional do Trupcando em Sonhos.

Clique no mapa e consulte melhores opções para chegar no local: https://www.google.com.br/maps/@-22.8763986,-43.2562986,18z

SERVIÇO – Oficina –  A graça além do riso

Com Juan Rocha

Dias 05 e 06 de dezembro das 09 às 16 horas

Local: Espaço Casa Viva
Endereço: Rua Capitão Bragança, 142, Manguinhos, Rio de Janeiro
Anúncios

Catraca Livre – Palhaços levam alegria para asilos e comunidades do Rio

A ideia nasceu no Complexo de Favelas de Manguinhos, uma área conhecida como Faixa de Gaza, por conta de seus episódios de violência, a partir da interação entre membros de duas instâncias culturais do território: o Ecomuseu de Manguinhos e o Projeto CAIS (ICICT/FIOCRUZ e Cooperação Social/FIOCRUZ).

Em setembro de 2013 o CAIS acabou, mas a ideia se manteve e o projeto pôde ser tocado.

Na coordenação do Coletivo Experimentalismo Brabo estão o Mestre em Ciências Leonardo “Salo” e a pedagoga hospitalar Cléo Lima. Além dos territórios favelizados, o grupo também realiza um trabalho com idosos, no Abrigo do Cristo Redentor, em São Gonçalo.

De acordo com Leonardo Salo, um dos responsáveis pelo projeto, a ideia “por enquanto é atuar no Complexo de Manguinhos e no asilo em São Gonçalo. “Para o abrigo, conseguimos um apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, vencemos um edital ano passado e estamos nos preparando para começar um projeto chamado Geração da Leitura, onde trabalharemos memória e história oral dos idosos, a leitura “deles mesmos”. Para Manguinhos, ainda estamos buscando, todavia já começamos nossas atividades em ambos, de forma voluntária”.

Leia a matéria completa no Catraca Livre.

Cleo Lima participa do Programa Conexão Futura

O Ministério Público lançou este ano a campanha “Conte até 10 nas escolas”, através da disseminação de conteúdos voltados à cultura de paz e a ideia de que “Valente mesmo é aquele que não briga”. No estúdio do Conexão Futura, Cléo Lima, pedagoga e coordenadora do Coletivo Experimentalismo Brabo; Luiz Gonzaga Lizardo, diretor adjunto do CIEP 358 Alberto Pasqualini, em Nova Iguaçu – RJ; e, por telefone, Antônio Ozorio Nunes, promotor e membro auxiliar da Comissão da Infância e Juventude do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), discutem a importância dessa campanha nacional para a diminuição da violência entre os jovens no Brasil. Apresentação: Cristiano Reckziegel.

O São Gonçalo – Idosos recebem visita especial

Experimentalismo Brabo.

Experimentalismo Brabo.

 

Levar mais vontade de viver e alegria a quem não tem é um dos objetivos do grupo Coletivo Experimentalismo Brabo. Criado, em outubro de 2013, o grupo tem artistas de diferentes atividades que atua em comunidades carentes de Manguinhos e no Abrigo Cristo Redentor, em Estrela do Norte, São Gonçalo.

“A nossa experiência com a ‘palhaçaria’ tem sido muito boa no abrigo. A resposta dos idosos sempre foi positiva. No entanto, há de se ressaltar que num universo de 200 idosos, você tem perfis bastante diferentes e, com isso, a interação acaba sendo diferente. Com uns, a gente brinca de uma determinada maneira. Com outros, trabalha mais a arte da ‘palhaçaria’ numa perspectiva de escuta. Mas, em todos os modos, a experiência é muito gratificante”, contou Leo Salo, um dos integrantes do grupo.

Composto por profissionais de arte, cultura e saúde, o Experimentalismo Brabo tem o desafio de propor intervenções artísticas que permitam a reflexão sobre a paz, solidariedade, afeto e cooperativismo. No Abrigo Cristo Redentor, o trabalho do grupo leva alegria aos idosos, segundo a diretora superintendente Mariana de Azevedo Abicalil. “É um projeto excelente. Traz alegria e vida, tirando a monotonia e a tristeza, além de ser um intercâmbio entre gerações. Os idosos ficam muito contentes com a presença deles”, contou.

Leia a matéria completa no Jornal O São Gonçalo.